jump to navigation

NOVO EPISÓDIO DE INDIANA JONAS! 13/03/2010

Posted by sergioreis86 in Uncategorized.
Tags: , ,
trackback

Quem tem boca e (não tem) juízo vai a…MADRID

Acorda e sente que chegou finalmente a hora de visitar Madrid, capital espanhola, maravilhosa, que eu próprio já tive a oportunidade de visitar inúmeras vezes e que adoro. Assim começa a história de mais um episódio da saga “Indiana Jonas”. Sem dinheiro, sem mapa, sem conhecimento mínimo do caminho, Indiana Jonas decide que o dia 11 de Março marcaria a sua vida.

Após mais uma noite de loucura num recinto nocturno vila-realense, Jonas acorda cedo (coisa rara no seu quotidiano) e como ninguém viaja de estômago vazio, dirigiu-se à padaria para se alimentar…mas não seria só o seu corpo a ser alimentado. Jonas viu o seu ego tornar-se maior que ele próprio quando a padeira o pediu em casamento, numa cena digna de filme! Foi desta forma que Jonas começou um dia inesquecível e interminável.

Sem fome, com tabaco no bolso, depósito do carro cheio e de peito feito, partiu Jonas em direcção à capital de “nuestros hermanos”. Seguindo as placas, facilmente chegou à portagem que antecede Madrid. Mas neste ponto exacto começaram os seus problemas: “deverei ir pela via verde sem cartão ou pela via normal?” Após vários contactos e marcha-atrás em pela auto-estrada, Indiana Jonas consegue acertar com o caminho correcto e entra na capital espanhola. Próximo passo…descobrir o Estádio Vicente Calderón, em Manzanares! Deixando o carro a vários quilómetros de distância, na Plaza Cibeles, com a sorte de encontrar um desconhecido que lhe indicaria o caminho, eram 17h e já Indiana Jonas estava aos saltos a vibrar no interior do estádio, no jogo Atlético-Sporting!

Até aqui há pouco a acrescentar, mas após o jogo, surgiram grandes grandes problemas! Saindo do estádio, Jonas não fazia ideia de onde estaria o seu carro! Após uma caminhada de mais de 2h, perguntando a polícias e cidadãos, o desespero tinha-se apoderado da sua alma. O objectivo passava agora por conquistar o coração de uma “princesinha” espanhola que lhe desse abrigo naquela noite gelada. Mas contra todas as previsões e quando até essa iniciativa parecia condenada ao fracasso, Jonas encontrou o seu veículo escondido no recanto mais escuro de um parque.

A felicidade e as forças voltaram ao corpo deste aventureiro. Próxima etapa, encher o depósito para voltar ao doce lar! Todo o dinheiro que lhe restava na carteira (e não era muito) foi trocado pelo líquido necessário para a sua viagem. (Mas ainda havia a portagem para pagar e dinheiro nem vê-lo). Que faria Jonas para chegar à fronteira?

“Indiana” iniciou assim a sua caminhada de regresso a casa. O sorriso tornava-se a imagem de marca da sua face, o “sabor” do tabaco enchia-lhe os pulmões de energia, o estômago tinha-se esquecido da fome…mas a partir de um determinado momento começou a sentir uma certa indecisão nos seus sentimentos: se por um lado reinava a felicidade por a portagem não aparecer (não tinha dinheiro para pagar), por outro existia uma preocupação por ela mesma não aparecer.

As placas Coruña, Compostela, Vigo, Verín, Porugal, Chaves, foram substituídas por Badajoz, Elvas, Portugal, Lisboa. Como a geografia numa foi o forte deste aventureiro, “bota pa Elvas pode ser k apareça a placa a dizer chaves”. Finalmente entrou em Portugal: Elvas (Alentejo) seria o Município que acolheria a estadia do grande Indiana Jonas na madrugada de dia 11 para dia 12.

Sem combustível, sem dinheiro, sem “tabaquinho”, sem roupa, sem comida, sem bateria no telemóvel, Jonas parou um momento para reflectir sobre a “caminhada espiritual” a que se havia proposto e que naquele momento parecia não ter fim…embalado pelos sonhos com a sua princesa e pelo “calor” do seu valioso e inseparável isqueiro, Indiana tentou encontrar uma solução para voltar à região que o viu crescer e que o tornou na pessoa que é hoje.

“Não conseguia dormir, estava a tremer, gelado, pensei k ia morrer congelado. Acordo e fico paralisado por volta das 6h da manhã, a ouvir rádio, com o isqueiro pousado à minha frente para aquecer as mãos, a pensar no que ia fazer”.

Eis que acontece um milagre…50 cêntimos estavam perdidos nos seus incontáveis bolsos. 50 Cêntimos que lhe poderiam salvar a vida e trazê-lo novamente à realidade. Dirigiu-se a um café para efectuar uma chamada…”one last push” do último grande aventureiro para o regresso a casa. O seu pai foi o feliz contemplado com a chamada de Indiana. Transferindo a módica quantia de 50 euros para a conta de Jonas, efectuou uma acção que não mais sairá da mente de Indiana. Mas Jonas queria desafiar novamente a sorte que Deus lhe reserva: “encher o depósito? Comer? Nah…vou comprar dois maços de tabaquinho”!

Fugindo do café, uma vez que a chamada custou 2 euros e ele só teria 50 cêntimos (à senhora do café, que Deus lhe pague porque o Jonas não pôde), Indiana pega no volante e não mais parou até reconhecer os montes da cidade vila-realense. Com o veículo na reserva de combustível desde Viseu, de muito lhe valeram os ensinamentos do seu companheiro e amigo romeno: conduzir em ponto morto é sempre uma excelente opção!

E foi assim que Indiana Jonas conseguiu chegar a Vila Real, numa viagem que ficará na História, escrita nos pergaminhos da civilização vila-realense, demonstrando as suas capacidades não conhecem limites.

Não percam pelo próximo episódio da saga Indiana Jonas…sairá brevemente para o grande ecrã!

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: